Recife (PE), Brasil

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Diário: Feriadão no Rio - Minha Primeira Meia-Maratona

O fim-de-semana foi excelente.
Chegamos no Rio na tarde da sexta, mas só conseguimos chegar ao hotel à noite, depois de duas horas de engarrafamento na Linha Vermelha.
Esperamos os demais chegarem e fomos à Lapa, mas foi um tanto frustrante, pois os bares estavam todos lotados e só encontramos lugar no primeiro andar de um boteco português (Antonio's), onde tomamos alguns chopes e comemos pastéis e bolinhos de bacalhau.
Depois fomos procurar algum lugar mais animado, mas estavam todos lotados ou com fila para entrar. Alguns resolveram ficar e conitnuar tentando algo, mas nós desistimos e acabamos tomando alguns chopes no Taberninha, vizinho ao Amarelinho, próximo ao Hotel.

No sábado, fomos pegar os kits da corrida e fizemos um passeio por Ipanema. À noite jantamos um rodizio de pizza no Graça da Villa, próximo ao hotel, e nos recolhemos para acordarmos cedo para a corrida.

O domingo amanheceu sem sol, o que foi excelente para a corrida.
Tinha programado correr apenas 10 km e pegar o metrô em Copacabana até o Flamengo, para encontrar o
pessoal na chegada. Mas ao chegar ao km 10, sentia-me ótimo e resolvi seguir em frente para ver até onde aguentava. Fiz os 10 km em 1h15min porque tinha feito num rítmo bem leve, parando várias vezes para fotografar e até retornei um pequeno trecho para pegar mais um copo dágua.
A segunda meta era chegar ao km 16, no Aterro do Flamengo, na altura da chegada, pois a corrida seguia mais 2,5 km até a Glória e de lá retornava. Lá chegando, estava muito cansado, mas quando vi o pessoal chegando na pista da esquerda, inclusive vários amigos, resolvi que também queria ganhar a medalha e ia terminar nem que fosse caminhando (ou me arrastando).

A essa altura meus pés doiam bastante, então mesmo estando bastante cansado, procurei correr o máximo que podia e andar o mínimo, pois os pés doiam mais caminhando que correndo.
Cada km depois do 16 parecia mais longo. Aliás, praticamente todos os km sinalizados na corrida deram mais de 1000m em meu GPS. Assim, depois de 3h, finalmente cheguei ao final da prova, com meu relógio marcando 21.650m em vez dos 21.095m oficiais. O relógio oficial marcava 3h18min, mas meu tempo líquido foi de 3h00min30seg, pois levei quase 18min para cruzar a linha de partida, devido à multidão que se aglomerava na largada.
Estava muito cansando, mas feliz de ter realizado algo que nem eu achava possível: concluir minha primeira meia maratona, principalmente estando praticamente parado há algumas semanas.
Agora é recomeçar os treinamentos  e tentar me condicionar para atingir meu objetivo, ainda não realizado, que é fazer os 10km sem andar um metro sequer.

Depois da corrida, fui para o hotel descansar e no fim da tarde fomos ao Maracanã, onde assistimos de camarote ao Náutico empatar com o Fluminense, mesmo jogando mal, e finalmente sair da zona do rebaixamento. Confesso que fiquei com vontade de descer do camarote no intervalo e me juntar à torcida alvirrubra na arquibancada. Mas tive medo de não conseguir acesso e acabar perdendo o resto do jogo.
Na segunda, feriado da independência, fomos ao Jardim Botânico e à Lagoa Rodrigo de Freitas e depois voltamos para o hotel, gastando o resto da tarde em passeios pelas redondezas (Outeiro da Glória, Palácio do Catete e Parque do Flamengo).

À noite, retornamos para o Recife, cansados mas felizes e realizados pelo fim de semana tão especial.
Não deixem de conferir as fotos no meu álbum do Picasa (atalho no lado esquerdo do blog).

2 comentários:

Paulo Sobral disse...

Valeu Bilú!!!Meia maratona não é para qualquer um!Parabéns e continue correndo.O importante é a regularidade!Abs Paulo Sobral!!Berlim se aproxima!!!

Edilson Queiroz disse...

Obrigado, Paulão.
Vocês da Acorja são um exemplo para mim, embora ainda não consiga ser tão disciplinado como vocês.
Estarei lá em Berlim, mas acho que vou correr só uns 10km na pipoca (isto é, se deixarem. rsrsrs).
Abração.

Postar um comentário