Recife (PE), Brasil

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Amigos,

Hoje declaro oficialmente que estou descontinuando este blog, por absoluta falta de tempo de mantê-lo atualizado.
Gostaria de agradecer profundamente aos meus 99 seguidores e outros amigos que prestigiaram este blog com mais de 55.000 acessos.
De qualquer forma, isto não é uma despedida, pois vocês podem continuar acompanhando meus relatos, fotos e outras matérias de interesse em meu facebook (https://www.facebook.com/#!/edilson.queiroz).
Se quiserem adicionar-me como amigo, citem que acompanhavam o blog.
Grande abraço e muito obrigado,
Edilson Queiroz

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

ENTENDA AS DIFERENÇAS ENTRE COMBUSTÍVEL COMUM E ADITIVADO

(Fonte: Terra)
Você para seu carro na frente de uma bomba de combustível em um posto, e o frentista pergunta se o abastecimento será com gasolina comum, aditivada ou premium. Pelo menos uma vez na vida todo motorista já se perguntou com qual combustível encher o tanque. O Terra consultou especialistas da área para esclarecer as dúvidas mais comuns sobre o assunto.
Quais são as principais diferenças entre o combustível comum, aditivado e premium?
De acordo com Remo Lucioli, diretor da Inforlub Brasil, empresa especializada em lubrificação automotiva, a gasolina comum não contém aditivos de limpeza e dispersantes. Isso significa que, ao longo do tempo, há o acúmulo de detritos no motor e no sistema de combustão. A gasolina aditivada traz uma série de detergentes especiais misturados ao combustível, que trabalham para "limpar" todo o sistema do veículo. Por último, a gasolina premium, assim como o combustível aditivado, traz componentes de limpeza especiais, porém tem mais octanas, e emite menos enxofre durante a queima, causando menos impacto ambiental, já que polui menos.
O motor fica mais econômico quando se usa combustível aditivado?
Segundo, Francisco Satkunas, engenheiro e conselheiro da SAE Brasil, a função do combustível "especial" e dos aditivos está apenas relacionada com a limpeza dos componentes internos e não no aumento de rendimento ou na performance do motor.
Usar gasolina aditivada tem o mesmo efeito que usar gasolina comum e de tempos em tempos usar um aditivo?
Satkunas e o consultor técnico da Fiat, Ricardo Dilser, defendem que os aditivos não são certificados, e não é possível saber as reais substâncias presentes. Logo, não é recomendado usar aditivo, apenas o combustível aditivado. Para Lucioli, o efeito da combustível aditivado é o mesmo que a combinação gasolina e aditivos, mas sua proporção deve seguir as indicações do fabricante do aditivo. Segundo ele, a vantagem é um controle efetivo da aditivação, sem o risco de fraude existente nos postos.
O que são os chamados "detergentes" presentes no combustível aditivado?
Satkunas explica que os detergentes da gasolina são hidrocarbonetos específicos para a limpeza e nada têm a ver com o detergente de cozinha. É um detergente na acepção do termo, o que significa que tem ação detergente.
Por que alguns modelos sugerem o uso de gasolina aditivada?
Segundo Lucioli, isso acontece com base no fato de a gasolina aditivada ser um produto um pouco mais elaborado, como opção para uso em alguns veículos com tecnologia avançada com o intuito de manter o sistema de alimentação mais protegido garantindo assim um boa performance do motor. Dilser, da Fiat, no entanto, diz que a maioria das montadoras habilita os veículos para receber etanol, gasolina ou gasolina aditivada, no caso de modelos flex, e que a rodagem é a mesma com os três combustíveis.
Os motores atuais são modernos e não precisam de combustível aditivado?
Segundo Dilser, sim. Atualmente, existem sistemas de prevenção, que funcionam justamente para limpar as impurezas dos combustíveis, como injetores com sistema auto-limpante, e a gasolina aditivada é indispensável. Para Lucioli, a proposta da gasolina aditivada é manter um sistema de alimentação de combustível mais limpo e isso produz melhores resultados, mesmo em motores modernos.

Veja a diferença entre os tipos de combustíveis:

Gasolina comum: A brasileira possui cerca de 25% de etanol em sua composição. Não possui corantes ou aditivos.
Gasolina aditivada: possui detergentes que evitam a formação das chamadas gomas e protege o filtro e as tubulações do veículo. Também mantém os bicos injetores limpos.
Gasolina premium: tem a maior octanagem entre as gasolinas vendidas, fator que permite melhor aproveitamento do potencial do motor.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Dois pesos e dois mensalões

05/08/2012 - 03h00

Dois pesos e dois mensalões

Coluna de Janio de Freitas
DE SÃO PAULO

Na sua indignação com o colega Ricardo Lewandowski, o ministro Joaquim Barbosa cometeu uma falha, não se sabe se de memória ou de aritmética, que remete ao conveniente silêncio de nove ministros do Supremo Tribunal Federal sobre uma estranha contradição sua. São os nove contrários a desdobrar-se o julgamento do mensalão, ou seja, a deixar no STF o julgamento dos três parlamentares acusados e remeter o dos outros 35, réus comuns, às varas criminais. De acordo com a praxe indicada pela Constituição.
Proposto pelo advogado Márcio Thomaz Bastos e apoiado por longa argumentação técnica de Lewandowski, o possível desdobramento exaltou Barbosa: "Essa questão já foi debatida aqui três vezes! Esta é a quarta!" Não era. Antes houve mais uma. As três citadas por Barbosa tratavam do mensalão agora sob julgamento. A outra foi a que determinou o desdobramento do chamado mensalão mineiro ou mensalão do PSDB. Neste, o STF ficou de julgar dois réus com "foro privilegiado", por serem parlamentares, e remeteu à Justiça Estadual mineira o julgamento dos outros 13.
Por que o tratamento diferenciado?
Os nove ministros que recusaram o desdobramento do mensalão petista calaram a respeito, ao votarem contra a proposta de Márcio Thomaz Bastos. Embora a duração dos votos de dois deles, Gilmar Mendes e Celso de Mello, comportasse longas digressões, indiferentes à pressa do presidente do tribunal, Ayres Britto, em defesa do seu cronograma de trabalho.
A premissa de serem crimes conexos os atribuídos aos réus do mensalão petista, tornando "inconveniente" dissociar os processos individuais, tem o mesmo sentido para o conjunto de 38 acusados e para o de 15. Mas só valeu para um dos mensalões.
Os dois mensalões também não receberam idênticas preocupações dos ministros do Supremo quanto ao risco de prescrições, por demora de julgamento. O mensalão do PSDB é o primeiro, montado já pelas mesmas peças centrais -Marcos Valério, suas agências de publicidade SMPB e DNA, o Banco Real. Só os beneficiários eram outros: o hoje deputado e ex-governador Eduardo Azeredo e o ex-vice-governador e hoje senador Clésio Andrade.
A incoerência do Supremo Tribunal Federal, nas decisões opostas sobre o desdobramento, é apenas um dos seus aspectos comprometedores no trato do mensalão mineiro. A propósito, a precedência no julgamento do mensalão do PT, ficando para data incerta o do PSDB e seus dois parlamentares, carrega um componente político que nada e ninguém pode negar.
A Polícia Federal também deixa condutas deploráveis na história do mensalão do PSDB. Aliás, em se tratando de sua conduta relacionada a fatos de interesse do PSDB, a PF tem grandes rombos na sua respeitabilidade.
Muito além de tudo isso, o que se constata a partir do mensalão mineiro, com a reportagem imperdível de Daniela Pinheiro na revista "piauí" que chegou às bancas, é nada menos do que estarrecedor. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, com seu gosto de medir o tamanho histórico dos escândalos, daria ali muito trabalho à sua tortuosa trena. Já não será por passar sem que a imprensa e a TV noticiosas lhes ponham os olhos, que o mensalão do PSDB e as protetoras deformidades policiais e judiciais ficarão encobertas.
É hora de atualizar o bordão sem mudar-lhe o significado: de dois pesos e duas medidas para dois pesos e dois mensalões.

quinta-feira, 26 de julho de 2012


Cemitério de NY guarda história de judeus do Brasil

Descendentes de famílias expulsas de Pernambuco por Portugal em 1654 se tornaram figuras proeminentes na sociedade americana

Fonte: Estadão
14 de julho de 2012 | 17h 21
Gustavo Chacra, Correspondente, NOVA YORK
Entre prédios com tinta descascada no bairro de Chinatown em Manhattan, o cemitério dos judeus originários do Recife e seus primeiros descendentes é um dos mais bem guardados segredos de Nova York. Poucos conhecem pessoalmente as tumbas das primeiras famílias judias que viveram na metrópole com a segunda maior população judaica do mundo, depois de Tel Aviv. Muito menos sabem que elas vieram do Brasil.
Em Chinatown. Cemitério com os túmulos dos 23 judeus e seus primeiros descendentes é pouco conhecido - Gustavo Chacra/AE
Gustavo Chacra/AE

Apesar do desgaste de séculos de chuva, sol e neve, ainda dá para ler em algumas tumbas sobrenomes como Fonseca, Seixas, Gomes, Nunes, Cardozo, Castro e Bueno de Mesquita. Todos judeus portugueses ou espanhóis, com passado ligado ao tempo de domínio dos holandeses no Recife, onde a primeira congregação judaica das Américas foi construída.

Em 1654, Portugal retomou o controle de Pernambuco, que estava nas mãos dos holandeses da Companhia das Índias. Era o fim de uma era de liberdade para os judeus nas terras brasileiras. Eles mais uma vez eram expulsos pela coroa portuguesa. Antes, durante a Inquisição, haviam sido obrigados a deixar Portugal e rumar para a protestante Holanda, onde não eram alvo de perseguição.

Piratas. Com a expulsão do Recife, alguns milhares de judeus seguiram para a Holanda em 17 barcos. Uma dessas embarcações se perdeu e foi atacada por piratas espanhóis.

Resgatados por um navio francês, foram levados para Nova Amsterdã, hoje conhecida como Nova York. Eram 23 pessoas, em sua maioria mulheres e crianças”, afirma Zacharia Edinger, o shamash (diretor de ritual) da gigantesca sinagoga Hispano-Portuguesa, denominada Shearit Israel. Localizada diante do Central Park, é a herdeira da primeira congregação judaica de Nova York. Atualmente, são eles que possuem as chaves do cemitério em Chinatown, abrindo-o em raras ocasiões, como nesta visita do Estado.

Os descendentes desses judeus portugueses se transformaram em figuras proeminentes na sociedade americana. Um deles, Benjamin Cardozo, já falecido, alcançou o posto de juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos. Outro, Bruce Bueno de Mesquita, professor da Universidade de Nova York, é o mais destacado especialista de teoria dos jogos aplicada à ciência política.

Antes mesmo de entrar no cemitério, em um movimentado cruzamento, há uma placa, em inglês, com os dizeres “O Primeiro Cemitério da sinagoga Hispano-Portuguesa, Shearit Israel, na Cidade de Nova York”.

O tamanho do terreno é pouco maior do que o de duas quadras de tênis. Parte acabou sendo destruída quando uma rua foi construída décadas atrás. Ao redor, famílias chinesas observam muitas vezes sem entender o que existe de especial nesse cemitério unindo as histórias de Brasil, EUA, Portugal, Holanda e da diáspora judaica.

Inscrições. Algumas tumbas possuem inscrições em português, inglês e hebraico. Há palavras como “Faleceu” e “Aqui Jaz”. Uma delas tem o nome de Gershom Mendes Seixas, um dos rabinos mais importantes da história dos Estados Unidos e com um sobrenome que não esconde suas origens portuguesas. Ele era descendente dos judeus que vieram do Recife e foi líder da congregação na época da Revolução Americana.

“Visitar o cemitério foi como viajar no tempo. Ver sobrenomes portugueses no cemitério retrata uma face interessante de Portugal e do Brasil, mostrando que o elemento judaico é integrante do tecido social brasileiro e português, com nomes completamente portugueses”, afirma o executivo Sergio Suchodolsky, que visitou o cemitério com o Estado.

O israelense Efrahim Gil afirmou que esperava desde 1966 para ir ao local nesta inédita visita.

O rabino brasileiro Mendy Weitman, do Jewish Latin Center, em Manhattan, disse ser “uma honra entrar no cemitério e ver como 23 judeus vindos do Brasil conseguiram construir a maior comunidade judaica fora de Israel, em Nova York” - seu pai, o rabino David Weitman, da Congregação Beit Yaacov, em Higienópolis, região central, escreveu o livro Bandeirantes Espirituais, justamente sobre os judeus do Recife.




Na sinagoga diante do Central Park, nomes em português


Os judeus do Recife mantiveram como herança nomes e influências portuguesas. Embora a maioria da Congregação Hispano-Portuguesa não descenda dos pioneiros que vieram de Pernambuco a Nova York, ritos da sinagoga diante do Central Park ainda usam expressões em português.

As cadeiras do presidente e vice da congregação são “bancos”. Quem carrega a Torah é o “levantador”. O coral ainda executa cânticos em português arcaico. “As diferenças entre os diferentes grupos de judeus pelo mundo não têm a ver com questões teológicas, mas históricas e de costumes, como algumas orações e rituais específicos; com roupas, comidas e inclusive línguas diferentes, apesar de o hebraico ser o idioma base dos ortodoxos. Os judeus portugueses tiveram uma forte influência da cultura católica portuguesa, que foi perpetuada em Amsterdã e Hamburgo”, afirma o professor da Unifesp Bruno Feitler.

Segundo Daniel Breda, do Arquivo Histórico Judaico no Recife, cristãos-novos portugueses adotaram nomes portugueses.

Feitler acrescenta que “alguns dos convertidos espanhóis adotaram sobrenomes específicos, como Santa Fé, mas a maioria dos convertidos simplesmente tomou sobrenomes comuns ou de padrinhos. Há casos de inquisidores julgando judeus que tinham o mesmo sobrenome que eles! A ideia de que sobrenomes portugueses baseados em nome de árvore ou animal têm origem judaica é mito infundado”. / G.C.N

sábado, 23 de junho de 2012

DILMA, "A SENHORA DOS ANÉIS"

Dilma Rousseff aparece no Financial Times como "A Senhora dos Anéis"

A ideia passada no anúncio de uma ONG internacional é a de que o poder de salvar o planeta está nas mãos de Dilma. A presidente brasileira aparece cercada por diversos chefes de estado.

A presidente Dilma Rousseff aparece de uma forma diferente no jornal econômico inglês Financial Times, nesta sexta-feira (22), em uma propaganda de uma ONG internacional, presente em vários países, com 15 milhões de integrantes no mundo inteiro.

A imagem é uma paródia com o filme "O Senhor dos Anéis", com o dizer: "Lady of the Rings" (a Senhora dos Anéis), em que a presidente está cercada por diversos chefes de estado, como Vladimir Putin, Hugo Chávez, e David Cameron.

A ideia passada é a de que o poder de salvar o planeta está nas mãos de Dilma. Na imagem, está a pergunta: "De que lado você vai ficar? A batalha para salvar o planeta Terra começou e é o povo contra os poluidores na Rio+20. Presidente Dilma, o mundo está com você. Diga para os poluidores que eles não vão ganhar".

quinta-feira, 14 de junho de 2012

O Brasil diante de dois inimigos


por Mauro Santayana


Serra no Espelho

Em discurso recente no Senado, Pedro Simon advertiu contra o perigo de que o crime organizado se aposse das instituições do Estado. Até o caso Cachoeira, disse o parlamentar gaúcho, havia sido comprovada a corrupção de setores da burocracia dos governos, mas não a da estrutura do Estado.

O governador Marconi Perillo se esquivou, com habilidade, das questões mais graves, em seu depoimento na CPMI. Registre-se que ele se encontrava mais do que tranqüilo, mesmo respondendo às indagações precisas do relator, até que chegou a vez do deputado Miro Teixeira. O experiente homem público, mesmo tendo como ponto de partida o caso menor, que é o da venda da casa de Perillo, deixou, na argúcia de suas perguntas, graves suspeitas.

Como pôde o governador receber o dinheiro de uma empresa e passar a escritura a um particular? Também ficou claro a quem ouviu o governador ser difícil que ele ignorasse as atividades ilícitas do apontado contraventor; ele conhecia, com intimidade, a sua vida empresarial, social e familiar.

O caso Cachoeira – e a advertência de Pedro Simon é importante – mostra como a nação está acossada por um inimigo interno insidioso, que é o crime organizado. Os recursos públicos são desviados para alimentar um estado clandestino, que está deixando de ser paralelo, para constituir o núcleo do poder, em alguns municípios, em muitos estados e na própria União. Essa erosão interna da nacionalidade brasileira, que se assemelha a uma gangrena,  coincide com o cerco internacional contra o nosso país.

Enquanto parte da opinião nacional acompanha, indignada, as revelações do esquema Cachoeira,  articula-se  eixo internacional entre os Estados Unidos, a Espanha e todos os países da Costa do Pacífico, com a exceção do Equador e da Nicarágua, contra o nosso povo, mediante a Aliança do Pacífico. Não há qualquer dissimulação.

Como informa a publicação Tal Cual, da oposição venezuelana, o foro funciona ativamente e já celebrou seis reuniões de alto nível. “Os quatro países signatários  da nova Aliança do Pacífico – revela a publicação – têm, todos eles, governos de centro ou centro-direita, crêem no capitalismo, são amigos dos Estados Unidos, e favorecem os tratados de livre comércio e o princípio do livre-comércio em geral. Une-os  sobretudo um temor comum e impulso defensivo frente à ascendente potência hegemônica ou neo-imperial que é o Brasil”. E termina: “sentimo-nos satisfeitos e aliviados pelo surgimento do muro de contenção à expansão brasileira, que é a Aliança do Pacífico”.

Assim, os Estados Unidos cuidam de retomar a sua influência e presença militar na América Latina. Nesse sentido, procuram valer-se da Aliança do Pacífico para estabelecer bases militares cercando o Brasil, da Colômbia ao sul do Chile. Leon Paneta, o Secretário de Defesa dos Estados Unidos, acaba de acertar com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, o estabelecimento de uma base norte-americana em Fuerte Aguayo, nas proximidades de Valparaíso. Entre outras missões dos militares americanos está a de treinar os carabineiros chilenos, a fim de coibir manifestações populares. Há, ao mesmo tempo, uma orquestração da imprensa e dos meios políticos e empresariais, a fim de reabilitar a figura do ditador Pinochet.

Os Estados Unidos, que mantêm uma base no Chaco paraguaio, quiseram também ocupar o aeroporto de Resistência, na província argentina do Chaco, e o governador Capitanich assentiu, mas o governo de Cristina Kirchner vetou o acordo.

A participação da Espanha nesse novo cerco ao Brasil é evidente. Em Madri, os embaixadores dos quatro paises maiores envolvidos (México, Colômbia, Peru e Chile) se reuniram, para defender a nova aliança, e coube ao embaixador do Chile, Sergio Romero, ser bem explícito. Ao afirmar que o bloco não nasce contra o Brasil, nem contra o Mercosul,  aclara, no entanto, que o grupo recebe de braços abertos os investimentos europeus, especialmente da Espanha e dos Estados Unidos – que poderiam formalmente participar da Aliança.

Limpemos os nossos olhos, vejamos os perigos que ameaçam diretamente a nossa sobrevivência como nação independente, nas vésperas do segundo centenário do Grito do Ipiranga. Não temos que ficar abrindo mais divisões internas, e devemos nos unir para enfrentar, ao mesmo tempo, o inimigo interno, que é o crime organizado e suas teias nas instituições do Estado, e os inimigos externos.

Esses, sempre que estivemos avançando no desenvolvimento social e econômico,  procuraram quebrar as nossas pernas, contando com traidores brasileiros. Não é preciso recuar muito no passado. Basta lembrar o cerco contra Vargas, em 1954, a tentativa de golpe de 1955, repetida em 1961 e, por fim, o golpe de 1964, com as conseqüências conhecidas. Registre-se que, apesar da vinculação com os Estados Unidos, durante o governo Castelo Branco, e a famosa doutrina das “fronteiras ideológicas”, vigente durante o governo Médici, a partir de Geisel os militares brasileiros não mantiveram a mesma subserviência diante de Washington.

Enfim, espera-se que o Itamaraty mantenha o governo da Sra. Dilma Roussef a par dessas manobras anti-brasileiras, comandadas a partir de Madri e de Washington, e que a CPMI vá até o fundo, nas investigações em curso. Elas não devem parar nas imediações de Anápolis, mas chegar a todo o Brasil, conforme os indícios surjam. É bom conhecer a verdade do passado, mediante a Comissão formada para isso. E se faz também necessário conhecer a verdade do presente, e impedir que o crime tome conta das instituições nacionais, como está ocorrendo no México de Calderón.

E não nos devemos esquecer que o sistema financeiro mundial é também uma forma – superior e mais poderosa – de crime organizado. E muito bem organizado.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Chega logo - Poema em homenagem ao Dia dos Namorados


CHEGA LOGO

Edilson V. Queiroz


Daqui a pouco vai chegar uma menina

Que entrará pela sala escura

Chegará com um sorriso travesso

Me chamando com ternura

Virá direto pros meus braços

Me pedindo sem censura

Que lhe retire os adereços

Que lhe encobrem a formosura


Neste momento não existem mais barreiras

Toda roupa já se faz desnecessária

Convenções sociais não mais importam

E a paz compreendemos que existe

Pois o amor que de nós se irradia

Preenche todo o espaço à nossa volta

Já não somos nomes, RGs ou CPFs

Somos apenas Homem e Mulher!


Fortaleza, 12 de junho de 1993

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Novo e-mail

Pessoal,
O objetivo desta mensagem é informar que a partir de agora estou deixando de usar o e-mail Yahoo (edilson_queiroz@yahoo.com.br) e passando a usar o GMail (edilson.queiroz@gmail.com), para mensagens de caráter particular e pessoal, pois o Yahoo tem me dado muito aborrecimento bloqueando minhas mensagens (às vezes uma simples mensagem para um único destinatário não é enviada por eles considerarem que foi identifcada uma atividade "suspeita").
Assim, a partir de agora, quando quiserem mandar mensagens para mim, que não sejam assuntos de trabalho, mandem para este endereço: edilson.queiroz@gmail.com
Grato e um abraço,

Edilson.

Crise global não pode impedir acordos na Rio+20, diz Dilma


Governo Dilma aproveitou Dia Mundial do Meio Ambiente para divulgar redução do desmatamento na Amazônia, anunciar um pacote de medidas relacionadas à área ambiental, abrir oficialmente a Rio+20 e começar a apresentar seu discurso no evento.

“Esperamos que a crise mundial gerada pelo excesso de ganância e pela falta de controle sobre os mercados não seja pretexto para uma vitória do excesso da ganância e da falta de controle sobre os recursos naturais", disse a presidenta.

> LEIA MAIS | Meio Ambiente | 05/06/2012

terça-feira, 5 de junho de 2012


Brasil sedia comemorações pelo Dia Mundial do Meio Ambiente

O Brasil sedia neste ano as comemorações globais pela passagem do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado anualmente no dia 5 de junho. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), órgão responsável pela organização, o País foi escolhido por ser “dono de uma das economias que crescem mais rapidamente no mundo e pelo destaque em políticas de reciclagem, energia renovável e geração de empregos verdes”. O tema deste ano é “Economia Verde: Ela te inclui?”.
O líder do PT na Câmara, deputado Jilmar Tatto (SP), afirma que o Brasil tem demonstrado que é possível conciliar o desenvolvimento econômico e social com a preservação do meio ambiente. “O Brasil é reconhecido internacionalmente por estar se desenvolvendo do ponto de vista econômico, distribuindo renda, gerando empregos e, ao mesmo tempo, preservando o meio ambiente”, destacou. Ainda de acordo com o líder, “esse caminho é fruto de uma decisão política do governo”.
Segundo o Pnuma, o tema “Economia Verde: Ela te inclui?” convida o planeta a avaliar de que forma esse novo formato de Economia influencia no dia-a-dia das pessoas e qual a sua relação com o desenvolvimento. Segundo o órgão, esse conceito abrange os resultados sociais, econômicos e ambientais necessários em um mundo com sete bilhões de pessoas, que deve chegar a nove bilhões em 2050.
Definição – O conceito de Economia Verde pode ser definido como o conjunto de processos produtivos da sociedade e as transações deles decorrentes que resultem na melhoria do bem-estar humano e da igualdade social, ao mesmo tempo em que reduz os riscos ambientais e a escassez ecológica. De forma mais simples, uma economia verde pode ser entendida como uma economia de baixa emissão de carbono, uso eficiente dos recursos naturais e inclusão social.
Código Florestal – De acordo com Jilmar Tatto, a prova maior do compromisso do governo com a implementação da Economia Verde no País é a reforma do Código Florestal. “O governo brasileiro apresentou um novo Código que preserva o meio ambiente, recupera as áreas degradadas e ao mesmo tempo permite o sustento dos agricultores, principalmente os pequenos produtores”, ressaltou.
Além dessas medidas, segundo ele, “o País também adota uma avançada política de preservação das florestas e dos parques nacionais e de produção de energia a partir de uma matriz limpa”. O líder petista afirma ainda que nesse Dia Mundial do Meio Ambiente “o Brasil pode comemorar o sucesso de suas políticas que conciliam o crescimento econômico e a preservação ambiental”, conclui.

País é destaque mundial em desenvolvimento sustentável, afirma Pnuma

O Brasil tem se destacado na construção de uma economia que inclui a preservação das florestas, a energia renovável, a reciclagem e a geração de empregos verdes. É o que afirma o relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), chamado “Economia Verde:
Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável e a erradicação da Pobreza”. Ainda de acordo com o texto, essas iniciativas contribuem para reduzir, “de forma significativa”, a emissão de gases causadores de efeito estufa.
Para o presidente da Comissão sobre Mudanças Climáticas do Congresso, deputado Márcio Macêdo (PT-SE), esse exemplo deve ser seguido na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. “Ao cumprir seus compromissos de proteção ao meio ambiente, com ousadas políticas públicas, aperfeiçoando a legislação e, ao mesmo tempo, distribuindo renda, o Brasil assume, naturalmente, posição de destaque entre os países que adotaram o modelo de desenvolvimentos sustentável”, destaca.
Em 2009, o Brasil assumiu voluntariamente o compromisso internacional de reduzir entre 36,1% e 38,9% as emissões de gases de efeito estufa até 2020. Nesse sentido, o governo federal investe em monitoramento, principalmente na Amazônia, para reduzir o desmatamento. Até 2020, segundo o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), a redução da emissão de CO2 deve atingir 80,5%, em relação à quantidade lançada na atmosfera em 2005.
Energia Limpa – De acordo com o Pnuma, o Brasil também é líder na produção de etanol (combustível para veículos), além de ter aumentado os investimentos em energia eólica e solar. O secretário Nacional Agrário do PT, deputado Bohn Gass (PT-RS), cita entre as experiências inovadoras nessa área, “a realizada pela hidrelétrica de Itaipu (PR), que transforma dejetos de suínos em gás, e o gás em energia elétrica”.
Ao destacar ser “totalmente favorável” a investimentos em energia a partir de matrizes limpas, caso das usinas hidrelétricas, Bohn Gass defende a “mitigação dos efeitos sociais e ambientais causados pelas inundações nas áreas de usinas”. Segundo o Ministério de Minas e Energia, 45% da produção de energia do País e 90% de eletricidade proveem de matriz energética limpa.
Reciclagem – A indústria de reciclagem brasileira também é elogiada pelas Nações Unidas. Esse mercado, segundo o Pnuma, gera US$ 2 bilhões ao País e contribui para reduzir em dez milhões de toneladas na emissão de gases de efeito estufa. De acordo com o órgão, o setor já emprega três milhões de pessoas, aproximadamente 7% do total de empregos formais do Brasil.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

#erronacontadeluz - TCU: o erro não foi nosso. Devolução já!

Participe da Campanha TCU: o erro não foi nosso. Devolução já!

Participe hoje do tuitaço com a hashtag #erronacontadeluz para mobilizar o maior número de pessoas pelo ressarcimento de R$ 7 bilhões, cobrados indevidamente dos consumidores de todo o Brasil, no período de 2002 a 2009, por conta de erro no cálculo de reajuste das tarifas de energia elétrica. A Frente Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica, da qual a PROTESTE faz parte, conta com a participação popular para pressionar o Tribunal de Contas da União que está para julgar a questão.

A campanha no Facebook está disponível em http://mailmkt.telium.com.br/links.php?AGE_ID=869308&PES_ID=45333342&n=15484&URL_ID=1314&url=http%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Ffrenteconsumidoresenergia, assine a petição.  Contamos com você!
Obrigada,
Maria Inês Dolci

Coordenadora Institucional da PROTESTE

terça-feira, 17 de abril de 2012

Por que a Veja é contra a CPMI do Cachoeira?


Por que a Veja é contra a CPMI do Cachoeira?

Fonte: Boletim Informes

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), divulgou uma nota contestando a reportagem de capa da revista Veja deste fim de semana, que acusa o PT de armar uma cortina de fumaça, com a CPI do caso Cachoeira, para abafar o processo que se convencionou chamar de mensalão. Num texto duro, Maia garante que haverá uma investigação sobre as relações de jornalistas com grupos clandestinos de espionagem e lembrou o caso do News of the World, que fechou as portas após a descoberta de que publicava grampos ilícitos. Leia, abaixo, a nota de Marco Maia :
Por que a Veja é contra a CPMI do Cachoeira?
Tendo em vista a publicação, na edição desta semana, de mais uma matéria opinativa por parte da revista Veja do Grupo Abril, desferindo um novo ataque desrespeitoso e grosseiro contra minha pessoa, sinto-me no dever de prestar os esclarecimentos a seguir em respeito aos cidadãos brasileiros, em especial aos leitores da referida revista e aos meus eleitores:
- a decisão de instalação de uma CPMI, reunindo Senado e Câmara Federal, resultou do entendimento quase unânime por parte do conjunto de partidos políticos com representação no Congresso Nacional sobre a necessidade de investigar as denúncias que se tornaram públicas, envolvendo as relações entre o contraventor conhecido como Carlinhos Cachoeira com integrantes dos setores público e privado, entre eles a imprensa;
- não é verdadeira, portanto, a tese que a referida matéria tenta construir (de forma arrogante e totalitária) de que esta CPMI seja um ato que vise tão somente confundir a opinião pública no momento em que o judiciário prepara-se para julgar as responsabilidades de diversos políticos citados no processo conhecido como "Mensalão";
- também não é verdadeira a tese, que a revista Veja tenta construir (também de forma totalitária), de que esta CPMI tem como um dos objetivos realizar uma caça a jornalistas que tenham realizado denúncias contra este ou aquele partido ou pessoa. Mas posso assegurar que haverá, sim, investigações sobre as graves denúncias de que o contraventor Carlinhos Cachoeira abastecia jornalistas e veículos de imprensa com informações obtidas a partir de um esquema clandestino de arapongagem;
- vale lembrar que, há pouco tempo, um importante jornal inglês foi obrigado a fechar as portas por denúncias menos graves do que estas. Isto sem falar na defesa que a matéria da Veja faz da cartilha fascista de que os fins justificam os meios ao defender o uso de meios espúrios para alcançar seus objetivos;
- afinal, por que a revista Veja é tão crítica em relação à instalação desta CPMI? Por que a Veja ataca esta CPMI? Por que a Veja, há duas semanas, não publicou uma linha sequer sobre as denúncias que envolviam até então somente o senador Demóstenes Torres, quando todos (destaco "todos") os demais veículos da imprensa buscavam desvendar as denúncias? Por que não investigar possíveis desvios de conduta da imprensa? Vai mal a Veja!;
- o que mais surpreende é o fato de que, em nenhum momento nas minhas declarações durante a última semana, falei especificamente sobre a revista, apontei envolvidos, ou mesmo emiti juízo de valor sobre o que é certo ou errado no comportamento da imprensa ou de qualquer envolvido no esquema. Ao contrário, apenas afirmei a necessidade de investigar tudo o que diz respeito às relações criminosas apontadas pelas Operações Monte Carlo e Vegas;
- não é a primeira vez que a revista Veja realiza matérias, aparentemente jornalísticas, mas com cunho opinativo, exagerando nos adjetivos a mim, sem sequer, como manda qualquer manual de jornalismo, ouvir as partes, o que não aconteceu em relação à minha pessoa (confesso que não entendo o porquê), demonstrando o emprego de métodos pouco jornalísticos, o que não colabora com a consolidação da democracia que tanto depende do uso responsável da liberdade de imprensa.
Marco Maia Presidente da Câmara dos Deputados

sábado, 7 de abril de 2012

Treino em João Pessoa

Viemos passar a Páscoa em João Pessoa. Chegamos na 5ª feira, por volta das 23h30, na Pousada do Caju, em Tambaú, e fomos dormir. A pousada tem um ótimo custo-benefício e fica a apenas dois quarteirões da praia e da Av. Epitácio Pessoa.

Pousada do Caju - Unidade V - Em frente ao Restaurante Toca do Caju
No dia seguinte, sexta-feira da Paixão, tomamos café e fizemos de carro o percurso que pretendíamos treinar no sábado: eu, 16km, e Marinês, 50km. Durante o passeio, definimos o seguinte percurso: Da pousada até Cabo Branco (4km), subindo a ladeira (6km)

Subida do Cabo Branco
e seguindo mais 2k além do Estação Ciência, de Niemeyer,

Estação Ciência
e da Ponta de Seixas (8km);


Ponto de Retorno - Subida - km 8

depois seguia na outra direção até a praia do Poço, em Cabedelo (29km); voltando até o início da subida do Cabo Branco (46km); e retornando à pousada (50km).

Depois de definirmos o percurso, fomos almoçar e passar a tarde na casa de minha irmã, Odete, no Centro. No início da noite (uma linda noite de lua cheia), voltamos à pousada e dormimos cedo, para descansarmos para o treino do dia seguinte.


Corri a primeira parte com Marinês, mas infelizmente não levei a máquina, pois é muito grande para carregar.

Acabei fazendo bem mais que os 16km que estava programando, pois acabamos descendo até a Praia da Penha e tentamos voltar pela praia, mas como a maré tava cheia, tivemos de retornar de Ponta de Seixas e subir de volta.

Subida da Praia da Penha
Antes da descida do Cabo Branco nos separamos,

Praia de Tambaú vista do alto do Cabo Branco
pois Marinês foi dar a volta pela trilha até o Mirante do Cabo Branco.

Subida do Mirante de Ponta de Seixas

Eu não quis esticar mais, pois já estava cansando. Retornei direto para o hotel, completando 20km, cansado mas satisfeito com meu treino.

Fui direto tomar café, todo suado, e só depois fui tomar banho e trocar de roupa. Depois peguei o carro e fui no encalço de Marinês. Encontrei-a mais ou menos no km 27 e fui acompanhando, prestando apoio e tirando fotos.
Km 27 - Bessa

Km 28 - Bessa (Ponta de Campina ao fundo)

Km  29 - Bessa - Jardim Oceania ao fundo

Km 30 - Portal Cabedelo (Intermares)

Km 33 - Areia Vermelha

Km 34 - Ponto de Retorno no Poço (Cabedelo)

Retornamos no km 34, na Praia do Poço. A cada 2km eu parava o carro e esperava Marinês para prestar apoio.

Km 37 - Intermares (Cabedelo)

Km 38 - Intermares

Km  39 - Intermares - Bessa ao fundo

Km 41 - Bessa

Km 44 - Manaíra - Jardim Oceania ao fundo
Isto até chegarmos ao km 47, quando retornei para a Pousada e Marinês seguiu, para completar os 50km.
Km 47 - Tambaú (imediações da pousada)
Acabou fazendo 53,5km, apesar de o sol já estar muito forte. Ela diz que a blusa do Corre 10 deu sorte.
Bilu e sua perna bronzeada
Depois do treino fomos curtir um pouco a praia de Tambaú e tomar uma cerveja gelada, pois ninguém de ferro. 


Mais tarde, curtimos mais um pouco a praia aguardando o nascer da lua cheia.



Assim, fechamos com chave de ouro um grande dia, sob o luar de João Pessoa.


No domingão de Páscoa, fomos almoçar na casa de minha sobrinha, Dilma, em Camboinha, Cabedelo. Momento família super-legal antes de pegar a estrada de volta ao Recife.

Cinco gerações de mulheres (da direita para a esquerda: minha mãe, Dina, minha irmã, Odete, minha sobrinha, Dilma,
com a filha, Daniela, e a neta)



sábado, 31 de março de 2012

Caçando mitos: Vídeo do Homem-Pássaro é falso

Recebi por e-mail uma mensagem afirmando que um holandês conseguiu realizar o sonho da humanidade: voar como um pássaro sem uso de motores, apenas com asas fabricadas por ele e impulsionadas com o movimento dos braços.

Entretanto, recebi outra mensagem comprovando que o vídeo é falso. O próprio autor do vídeo confessa, em entrevista, que o vídeo é montado. Vejam a mensagem e os dois vídeo abaixo:

Homem consegue voar como pássaro batendo seus braços

Desde os primórdios da humanidade, o homem ansiava por ser capaz de voar como os pássaros. E conseguiu, através do intermédio de asa delta, balões, aviões e helicópteros, além de outros equipamentos. Mas não se pode dizer que podemos de fato imitar os pássaros, voando no mesmo sistema de bater asas que eles adotam. Ou melhor, não podíamos. Um engenheiro holandês, Jarno Smeets, foi o primeiro ser humano a obter esta façanha.
Aficionado por máquinas voadoras, ele inaugurou um projeto chamado “Human Bird Wings” (“asas de pássaro humanas”). Desde agosto de 2011, ele tem se preparado para uma empreitada que resultou em absoluto sucesso na última semana, conforme mostra o vídeo.
Ele conseguiu sobrevoar um parque por alguns minutos usando um par de asas artificial (feitas com vela de windsurf), que era movido exclusivamente com o seu bater de braços, sem nenhuma força mecânica.
O holandês voador partiu do chão, correu alguns metros e conseguiu voar. Em seu blog, ele mostra como projetou os primeiros desenhos, como elaborou seu sistema de navegação, e como construiu o modelo definitivo de seu par de asas. [HumanWingBirds]


Homem-pássaro admite que vídeo é um hoax (falso)

Fake:



segunda-feira, 26 de março de 2012

Pernambuco que corre - Marinês Melo viaja todo o mundo para participar de corridas

Segue mais uma matéria publicada com a participação de Marinês, na revista online Leia Já.

OBS: a foto foi tirada em Paris por mim, logo depois da metade da maratona (corri até a metade, na pipoca, e parei).

Pernambuco que corre

As corridas crescem no Estado e ganham cada vez mais grupos para treinamentos

por Nicoly Moreira | sab, 24/03/2012 - 14:27
 
Foto: Reprodução / Facebook A pernambucana Marines Melo viaja todo o mundo para participar de corridas de rua

As corridas de rua representam um esporte mais do que democrático. Apesar de ser praticada individualmente, a modalidade não pode ser considerada uma atividade solitária, principalmente por conta dos meios utilizados para praticá-la. As começam a ganhar destaque no Estado e estão mais freqüentes a cada ano.
Em 2012, a Federação Pernambucana de Atletismo (FEPA) tem programado a realização de 39 corridas de rua, tanto na capital quanto nas cidades do interior, totalizando 19 a mais em relação ao ano passado. O esporte, de forma geral, vai desde as pequenas distâncias como 5 km ou 10 km, passando pelas meias-maratonas (21,097 km) e maratonas (42,195 km), até as ultra-maratonas que podem alcançar até 600 km, com duração de 24h.
 As pessoas podem buscar a prática da corrida para cuidar da saúde, manter a forma física e também para competir. Mas antes de pensar em competição é necesserário preparar o corpo para as provas.
Ultimamente, a procura é pelos grupos de corrida, que surgiram nas academias. “Esses grupos juntam corredores para preparar o corpo para uma competição pessoal, melhorar o rendimento físico e não necessariamente para competir. A saúde é a principal motivação”, afirma o preparador físico do Clube Corpore Sano, Deco Nonato.
O processo de treinamento deve se adequar ao tipo físico da pessoa e da corrida que ela pretende participar. No caso das disputas de 10 km, os corredores amadores treinam em média de 40 a 60 km por semana, enquanto os atletas de rendimento chegam a correr 80 a 100 km neste mesmo período. Já com relação às maratonas, os velocistas amadores chegam a percorrer 120 km por semana e os profissionais entre 160 e 180 km. Nas ultra-maratonas, treina-se menos velocidade e mais quantidade de quilômetros, dependendo da prova e do seu tempo.
Mas a preparação para as corridas não é apenas correr. Além disso, são necessárias atividades de caminhada - dependendo do nível do atleta - exercícios de alongamento, aulas direcionadas, como de abdominal e exercício funcional, aulas de técnica de corrida e exercícios de força, que podem ser executados na areia da praia. Deco Nonato, além de preparar os corredores, também é triatleta, praticando também natação e ciclismo. “O triátlon está crescendo na região e auxilia na preparação física dos corredores” destaca Deco.
A funcionária pública e corredora Marines Melo, de 48 anos, participa de vários grupos de corrida. Um deles, os Baleias, atrai simpatizantes do esporte de todo o país e que gostam de viajar. Em 2003, Marines participou da sua primeira corrida, a Duque de Caxias, de 10 km. Começou a correr através do convite de uma amiga. Aceitou e gostou, mas só depois se interessou pelos grupos de treinamento. “É muito importante se preparar para correr, primeiro para avaliar seu estado físico, depois seguir as regras básicas de se alimentar bem, se hidratar e, principalmente, respeitar os limites do seu corpo”, conta a atleta.
“Já corri em 22 maratonas. Em janeiro deste ano fiz uma prova muito difícil devido ao clima e altitude, no Deserto do Atacama, no Chile, e um mês depois fiz outra prova em Tókio. Participei também de duas ultra-maratonas, uma no Rio Grande do Sul, de 50 km e em Santa Catarina, com 52 km. Estou em processo de preparação para encarar a próxima ultra, a Comrades, que será realizada em junho, na África do Sul e terá 89 km de percurso” complementa.
O atleta Jorge Sousa, 65, está se preparando para a corrida das Pontes, que vai ocorrer neste domingo (25), no Marco Zero do Recife, a cerca de três meses e vai participar da prova de 5 km. “É muito importante treinar e se preparar para poder terminar bem a corrida e ficar mais confiante durante a prova”, afirma o corredor.
As corridas também aparecem como estilo de vida e pode proporcionar a interação com outras atividades. “Faço grandes amizades e tive a oportunidade de conhecer diferentes lugares e suas culturas, além de me divertir e me disciplinar, tudo através da corrida” conta Marines, depois de ter viajado para diversos países para correr, como Grécia, Alemanha, Canadá e França.

terça-feira, 13 de março de 2012

Corrida dos Juntos - Relato e Resultado

Domingo passado, eu e Marinês participamos da I Corrida dos Juntos, onde duplas corriam juntas, ligadas por um elástico.

Apesar do dia chuvoso, a corrida foi bastante divertida, bem organizada e participativa. Havia provas de 5 km para duplas masculinas, femininas e mistas, além de provas individuais de 5 e 10 km.

Por suposto, participamos da prova de 5km para duplas mistas. Nesta categoria foram 59 duplas. Ficamos em 27º lugar, com o tempo líquido de 29min53s, média de 5min59s por volta (pela primeira vez terminei uma prova com o tempo abaixo de 6min por volta). Vejam abaixo o nosso resultado:

Class  Nome Capitão      Num  Tempo Bruto  Tempo Líquido  Min/Km 
27      Marines Valentim  312    30:16.4           29:53.0 5:59     5:59

Depois ainda demos mais uma volta caminhando, para saborear melhor o percurso, passando por nossas belas pontes. Fiquei muito satisfeito com a prova. foi um belo aperitivo para a Corrida das Pontes, que será no dia 25.

Pena que acabei pegando um resfriado por causa da chuvinha intermitente durante toda a manhã. Nem trabalhei na segunda. Mas, como diz o Chico, já tô quase bom.

Confiram no Corre 10 o resultado oficial completo e o relato da prova.