Recife (PE), Brasil

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Educação: Universidades vinculadas ao Governo Serra boicotam o ENEM




Repassado por: M. Ricardina Sobrinho de Almeida


UNIVERSIDADES VINCULADAS AO GOVERNO SERRA BOICOTAM O ENEM


SERÁ QUE O ROUBO, TRAMADO NA GRÁFICA DA FOLHA, ENGAJADA NA CAMPANHA PRÓ-SERRA, FOI MAIS UMA TENTATIVA DA OPOSIÇÃO DE CRIAR UMA NOVA CRISE, UM NOVO "ESCANDALO" CONTRA O GOVERNO LULA?

Texto publicado no blog “Conversa Afiada”, de Paulo Henrique Amorim:

Jornal Nacional: universidades do Zé Pedágio pularam fora do Enem


Duas universidades públicas do estado de São Paulo – USP e Unicamp – desistiram de utilizar o resultado do Enem como critério para o vestibular, destaca o jornal nacional desta quarta-feira (7).

A reportagem, que ocupou quase um bloco inteiro do programa, mostra estudantes que desistiram de fazer o Enem depois que as universidades, vinculadas ao governo de José Serra, resolveram desconsiderar o Enem.

O jornal nacional exibiu imagens de um protesto de vestibulandos com nariz de palhaço. Uma deles, que se apresentou como líder do grupo, disse que se sentia prejudicada “como estudante e cidadã” com a mudança da data da prova, para 5 e 6 de dezembro, determinada pelo MEC.

A reportagem frisou que a nova data coincide com 14 vestibulares de instituições públicas e privadas. O MEC alegou que essas instituições concordaram em mudar as datas de seus exames mas, ressaltou William Bonner, essa informação não é confirmada por parte das universidades.

O Jornal Nacional não citou, novamente, que o vazamento da prova ocorreu na
Gráfica Plural, que pertence ao grupo Folha (*).

No site do UOL Educação, o governador José Serra disse que a fraude do Enem foi um “apagão”.

Segundo ele, “ia ter o Enem e não teve o Enem. Houve o apagão do Enem”.

Ainda no jornal nacional, no bloco seguinte ao que foi dedicado ao Enem, William Bonner leu a notícia sobre novos indícios de corrupção do governo de Yeda Crusius (PSDB) no Rio Grande do Sul.

Em poucos segundos, e sem imagens, disse que a governadora “não quis comentar as acusações” sobre a descoberta de notas fiscais de lojas de material de construção de Porto Alegre que teriam entregue R$ 100 mil em mercadorias, compradas com dinheiro público, na casa da governadora.

(*) Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele acha da investigação, da “ditabranda”, do câncer do Fidel, da ficha falsa da Dilma, de Aécio vice de Serra, e que nos anos militares emprestava os carros de reportagem aos torturadores."


Nenhum comentário:

Postar um comentário