Recife (PE), Brasil

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Diário: Fim-de-semana em Tabira (aniversário de Júlio e corrida)

Este fim-de-semana fomos com a turma da Acorja (Associação dos Corredores da Jaqueira) a Tabira para comemorar o aniversário de Júlio Cordeiro, filho da terra, e participar da 1a. Minimaratona Amigos da Natureza, como a corrida foi batizada pelo pessoal de lá.

Na verdade foi uma corrida de aproximadamente 14km idealizada por Júlio e Lula, líder da Acorja, como parte das comemorações do aniversário, mas que seu primo, Secretário da Juventude do município, promete entrar definitivamente para o calendário da cidade.

Ficamos em uma pousada muito agradável localizada no posto de gasolina, mas que tem mais de 40 quartos novos e bem mobiliados, a maioria com ar e cama de casal (pelo menos o que ficamos tinha). Só senti falta de um frigobar.

Saímos de Recife, em um ônibus fretado, por volta de 22h30 e chegamos lá por volta de 6h, pois paramos no caminho em Cruzeiro do Nordeste, no local em que foi filmada uma cena de "Central do Brasil".

O pessoal foi chegando, tomando café e saindo pra participar da corrida. Eu não participei porque estou sentindo um pouco a coxa direita. E Marinês acabou desistindo também, temendo o sol forte do sertão, uma vez que está fazendo um tratamento de pele e não pode tomar sol.

Acabamos sendo nomeados por Lula como cronometristas oficiais da prova e fomos de mototáxi para o local da chegada, no povoado de Borborema. O resultado da corrida está no “post” seguinte.

Depois da corrida fomos todos tomar café-da-manhã no sítio da mãe de Júlio. Mais tarde, por volta das 14h, almoçamos no Bar do Arroz, uma localidade bastante aprazível, na saída para Água Branca e para a divisa com a Paraíba, embaixo de uma enorme cajazeira, com comida deliciosa, especialmente o arroz que dá nome ao bar, que é feito no molho de frango, mas que o dono não dá a receita. Senti-me como se estivesse participando de um dos banquetes dos “irredutíveis gauleses” das estorinhas de Asterix.

À noite, ainda fartos do lauto almoço (e alguns que, desde a hora do almoço, não pareciam se fartar do “gatorade espumoso”), fomos à casa da mãe de Júlio, onde cantamos os parabéns e saboreamos o bolo especialíssimo preparado por Juliana (a “boleira” da Acorja), além de deliciosas sobremesas preparadas por Dona Dulce e família.

Dona Dulce leu a oração do atleta-corredor, que ela mesma escreveu, e Júlio leu o cordel “Tabira abraça a Acorja”, que havia sido escrito à tarde pelo poeta popular tabirense Dedé Monteiro, durante as bebemorações. Os dois textos estão nos posts seguintes ao resultado da corrida.

No dia seguinte, partimos às 9h30 (Não sem antes a turma fazer mais um “treininho” de 15 km) e chegamos ao Recife por volta das 18h, cansados da viagem, mas felizes pela acolhida recebida da família de Júlio e de todos os tabirenses com quem tivemos contato, além da animada camaradagem entre todos durante toda a viagem.

Infelizmente não tenho fotos, pois como já comentei, estou sem máquina fotográfica, mas depois roubo umas fotos do blog do Júlio e coloco aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário