Recife (PE), Brasil

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Tecnologia: Bug do Milênio retardado afeta milhões de cartões na Alemanha

Inacreditável!
Os europeus, tão desenvolvidos, fizeram apenas um remendo nos sistemas para adaptá-los ao ano 2000, mas a bomba veio estourar agora.
O erro, provavelmente, foi primário: em vez de corrigirem as datas para anos de 4 dígitos, devem ter mantido os dois dígitos, reconhecendo as datas apenas no período (19)10 a (20)09. E esqueceram de readaptar os sistemas no final da última década. Resultado, com a virada do ano 2009 para o ano 2010, todos os cartões deixaram de funcionar por problemas na data.
O Brasil resolveu isto com maestria e definitivamente em 1999, convertendo todas as datas de sistemas para 4 dígitos. Assim, só vamos precisar nos preocupar com isto em 9999, daqui a quase 8 mil anos.
Viva o Brasil!

Vejam a matéria abaixo:

Efeito Y2K retardado afeta milhões de cartões bancários na Alemanha



Saques recusados, cartões engolidos pelos caixas automáticos, clientes confusos - problemas de software fizeram com que muitos cartões de débito e crédito deixassem de funcionar corretamente com a virada do ano.





Uma falha na programação do software dos microchips dos cartões bancários, está trazendo sérios problemas para os consumidores alemães, desde a virada do ano.

Numa espécie de "efeito Y2K retardado", os sistemas bancários não reconhecem o ano de 2010 dos cartões defeituosos, impossibilitando os clientes de sacar dinheiro nos caixas eletrônicos e efetuar compras com os cartões. A estimativa é que cerca 30 milhões de unidades foram afetadas.

O problema com o saque em caixas eletrônicos foi quase totalmente reparado, através de uma atualização no programa dos equipamentos, segundo garantiram as instituições financeiras alemãs responsáveis. Os bloqueios nos cartões para utilização no exterior, entretanto, devem permanecer ainda no decorrer das próximas semanas, e os problemas nas compras com cartão de débito ainda prosseguem.

A falha é verificada nas unidades produzidas pela empresa francesa Gemalto. Líder no setor de microchip para cartão de crédito e telefone celular, a firma assumiu a responsabilidade pela pane.

Perigo da perda de confiança

Os bancos querem evitar a troca dos cartões, o que poderia acarretar custos de até 300 milhões de euros. "Todas as providências tomadas até agora são no sentido de evitar a troca dos cartões", afirmou nesta quarta-feira (06/01) um porta-voz do Comitê Central de Crédito (ZKA, na sigla em alemão).

O comércio chegou a reivindicar um esquema de compensação para os problemas de pagamento com cartão de débito, devido à possível redução das vendas, originada pela pane. O varejo alemão criticou a indústria bancária pelos problemas nas operações de pagamento sem dinheiro. "No comércio, os problemas com os cartões bancários defeituosos é verificado em cerca de um quinto de um total de 1 milhão de terminais de pagamento", declarou a Federação do Comércio Alemão.

Representantes dos consumidores acusam os bancos de não informarem os clientes como deveriam. "O maior problema é o péssimo trabalho de esclarecimento realizado", reclamou Manfred Westphal, diretor do setor de serviços financeiros da Federação Alemã de Centrais dos Consumidores. "Nenhum consumidor sabe qual é o problema real com os cartões.". Segundo ele, há perigo de perda de confiança nessa forma de pagamento.

Fonte: Deutsche Welle - 6/1/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário