Recife (PE), Brasil

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Nova York - 4º dia: maratona

Coloquei ontem o despertador para tocar hoje às 4h30, para que Marinês não se atrasasse, já que o ônibus dela para o local da largada sairia às 5h30. Quando o despertador tocou, descobrimos que de madrugada havia acabado o horário de verão.
A boa notícia é que isto não provocou atraso, já que o relógio deveria ser atrasado em uma hora. A má notícia é que acordamos 1h mais cedo do que precisávamos. Na verdade eram 3 e meia da manhã. Como não conseguimos dormir de novo, o jeito foi antecipar os preparativos.

Quando descemos já tinha café-da-manhã disponível. A propósito, o café da manhã aqui é até razoável: apesar de ser continental, inclu a frutas (banana e laranja), suco, pães, bolos, cream cheese e até ovo cozido.

Quando saímos para o local do ônibus ainda estava tudo escuro.

Ao fundo, o Edifício da Chrysler
Não me deixaram nem acompanhar Bilu até o ônibus, pois já na esquina só passava quem estava com o número de inscrição no peito.

Aqui nos separamos
Assim, voltei para o hotel e fui dar uma arrumada nas minhas coisas. Por volta das 8h30 fui tomar café de novo e aproveitei para fazer um planejamento para os próximos dias. Resolvi comprar o passe da cidade (city pass), mas pra valer a pena, a programação dos próximos 3 dias terá de ser bastante intensa, já que o passe custa 80 dólares por um dia ou 155 dólares por 3 dias (na verdade pretendo comprar pela internet, pois custa 130 dólares).

Depois aproveitei pra ir na Best Buy fazer minhas compras. Ainda tive um bate-boca com um dos funcionários da loja, que falou comigo aos gritos só porque abri a caixa de um aparelho, que não estava lacrado, para tentar ver a voltagem do produto, que não tinha na caixa. Não deixei por menos e devolvi na mesma moeda, dizendo que ele tinha obrigação de tratar melhor os clientes. Felizmente chegou outro funcionário mais educado e contornou a situação. Aliás, o povo aqui em Nova York é muito grosseiro, bem diferente das experiências que tivemos em Chicago e Orlando, por exemplo, só pra ficar por aqui mesmo.
Os taxistas, então, são uns estúpidos. O que nos pegou no aeroporto de Nova Jersey nem queria nos levar (o controlador dos taxis praticamente obrigou-o) nem colocou ou tirou as malas do carro. E hoje quando eu ia saindo do hotel um taxista deixou uma hóspede a ver navios e se mandou só porque ela demorou um pouco pra sair com a mala.
Enfim, cada vez mais me convenço que os Estados Unidos realmente são um país e uma cultura decadentes, embora ainda mantenham a arrogância. O aeroporto de Newark, NJ, por exemplo, não está em melhor estado de conservação do que qualquer aeroporto brasileiro, com paredes manchadas ou descascando e equipamentos quebrados. O banheiro da Best Buy tem um aviso para que os funcionários não saiam do banheiro sem lavar as mãos, mas não tem água na torneira. E por aí vai.
Espero que pelo menos os shows ainda  mantenham o alto nível de qualidade que fizeram a sua fama.

Mas voltando ao que interessa, voltei para o hotel e fiquei monitorando a participação de Marinês na maratona pela internet. Quando faltavam 7,2 milhas (11,5km) fui andando para o local da chegada, no Central Park, a 25 quadras do hotel.


Casa com decoração de Halloween
 Acabei nem podendo ver a chegadam pois o acesso estava bloqueado, nem encontrando Marinês, pois era gente demais e ela acabou saindo por um acesso mais adiante.


"Seu Peru" na dispersão
 Como não sabia exatamente quanto tempo ela levaria para chegar e para percorrer todo o trajeto até a saída, fiquei esperando ainda por cerca de duas horas, num frio congelante, até desistir.

Estúdio da ABC

Quando cheguei de volta ao hotel, ela já estava lá (felizmente).Assim acabei não fotografando nada da corrida. Até a metade da maratona, ela tinha tempo para terminar abaixo de 4h30, mas devido a problemas com cãimbras, acabou concluindo em 5h19, mas o importane é que chegou bem.

Lincoln Center, tem sempre grandes atrações clássicas em cartaz

3 comentários:

elis disse...

parabéns, Mari!!!
mal posso esperar pra saber todos os detalhes da prova!!!

Edilson, seu relato tá muito bacana!
o melhor é que você vai dando dicas de viagem!

esses vendedores de NY tinham que ser os melhores do mundo! é tanto turista naquela cidade! oportunidade de treinar boas maneiras eles têm de sobra!
agora, não sabia que algumas instalações de lugares tão importantes em NY estavam tão decadentes!

aproveitem muito a viagem!
divirtam-se!!!!

bjs

RR Máquinas disse...

http://link.smartscreen.live.com/?l=http%3a%2f%2fblog.scup.com.br%2fvoce-conhece-seu-publico-nas-midias-sociais&p=1&u=&r=AGQ=&d=I&c=h0JRmaXv7E20GmkfPcqx2Q==&y=16ED55&h=glBFqLk5

Anônimo disse...

Parabéns Marinês!!Mais uma maratona internacional para o já vasto currículo!!Família que corre unida permanece unida!!Parabéns e Deus abençõe mais e mais vcs!!Abs:Paulo Sobral!!

Postar um comentário