Recife (PE), Brasil

segunda-feira, 26 de março de 2012

Pernambuco que corre - Marinês Melo viaja todo o mundo para participar de corridas

Segue mais uma matéria publicada com a participação de Marinês, na revista online Leia Já.

OBS: a foto foi tirada em Paris por mim, logo depois da metade da maratona (corri até a metade, na pipoca, e parei).

Pernambuco que corre

As corridas crescem no Estado e ganham cada vez mais grupos para treinamentos

por Nicoly Moreira | sab, 24/03/2012 - 14:27
 
Foto: Reprodução / Facebook A pernambucana Marines Melo viaja todo o mundo para participar de corridas de rua

As corridas de rua representam um esporte mais do que democrático. Apesar de ser praticada individualmente, a modalidade não pode ser considerada uma atividade solitária, principalmente por conta dos meios utilizados para praticá-la. As começam a ganhar destaque no Estado e estão mais freqüentes a cada ano.
Em 2012, a Federação Pernambucana de Atletismo (FEPA) tem programado a realização de 39 corridas de rua, tanto na capital quanto nas cidades do interior, totalizando 19 a mais em relação ao ano passado. O esporte, de forma geral, vai desde as pequenas distâncias como 5 km ou 10 km, passando pelas meias-maratonas (21,097 km) e maratonas (42,195 km), até as ultra-maratonas que podem alcançar até 600 km, com duração de 24h.
 As pessoas podem buscar a prática da corrida para cuidar da saúde, manter a forma física e também para competir. Mas antes de pensar em competição é necesserário preparar o corpo para as provas.
Ultimamente, a procura é pelos grupos de corrida, que surgiram nas academias. “Esses grupos juntam corredores para preparar o corpo para uma competição pessoal, melhorar o rendimento físico e não necessariamente para competir. A saúde é a principal motivação”, afirma o preparador físico do Clube Corpore Sano, Deco Nonato.
O processo de treinamento deve se adequar ao tipo físico da pessoa e da corrida que ela pretende participar. No caso das disputas de 10 km, os corredores amadores treinam em média de 40 a 60 km por semana, enquanto os atletas de rendimento chegam a correr 80 a 100 km neste mesmo período. Já com relação às maratonas, os velocistas amadores chegam a percorrer 120 km por semana e os profissionais entre 160 e 180 km. Nas ultra-maratonas, treina-se menos velocidade e mais quantidade de quilômetros, dependendo da prova e do seu tempo.
Mas a preparação para as corridas não é apenas correr. Além disso, são necessárias atividades de caminhada - dependendo do nível do atleta - exercícios de alongamento, aulas direcionadas, como de abdominal e exercício funcional, aulas de técnica de corrida e exercícios de força, que podem ser executados na areia da praia. Deco Nonato, além de preparar os corredores, também é triatleta, praticando também natação e ciclismo. “O triátlon está crescendo na região e auxilia na preparação física dos corredores” destaca Deco.
A funcionária pública e corredora Marines Melo, de 48 anos, participa de vários grupos de corrida. Um deles, os Baleias, atrai simpatizantes do esporte de todo o país e que gostam de viajar. Em 2003, Marines participou da sua primeira corrida, a Duque de Caxias, de 10 km. Começou a correr através do convite de uma amiga. Aceitou e gostou, mas só depois se interessou pelos grupos de treinamento. “É muito importante se preparar para correr, primeiro para avaliar seu estado físico, depois seguir as regras básicas de se alimentar bem, se hidratar e, principalmente, respeitar os limites do seu corpo”, conta a atleta.
“Já corri em 22 maratonas. Em janeiro deste ano fiz uma prova muito difícil devido ao clima e altitude, no Deserto do Atacama, no Chile, e um mês depois fiz outra prova em Tókio. Participei também de duas ultra-maratonas, uma no Rio Grande do Sul, de 50 km e em Santa Catarina, com 52 km. Estou em processo de preparação para encarar a próxima ultra, a Comrades, que será realizada em junho, na África do Sul e terá 89 km de percurso” complementa.
O atleta Jorge Sousa, 65, está se preparando para a corrida das Pontes, que vai ocorrer neste domingo (25), no Marco Zero do Recife, a cerca de três meses e vai participar da prova de 5 km. “É muito importante treinar e se preparar para poder terminar bem a corrida e ficar mais confiante durante a prova”, afirma o corredor.
As corridas também aparecem como estilo de vida e pode proporcionar a interação com outras atividades. “Faço grandes amizades e tive a oportunidade de conhecer diferentes lugares e suas culturas, além de me divertir e me disciplinar, tudo através da corrida” conta Marines, depois de ter viajado para diversos países para correr, como Grécia, Alemanha, Canadá e França.

Nenhum comentário:

Postar um comentário