Recife (PE), Brasil

quarta-feira, 31 de março de 2010

WSJ: Para o Brasil, finalmente o amanhã chegou

Wall Street Journal destaca a trajetória do crescimento do País sob o governo Lula

O jornal norte-americano Wall Street Journal publicou nesta semana um caderno especial sobre o Brasil, em que destaca a trajetória do crescimento do País sob o governo Lula. “Para o Brasil, finalmente é o amanhã”, é o logotipo de um encarte especial do jornal. Um dos editores da publicação afirma, em vídeo, que “a ascensão do Brasil como um gigante econômico é um dos maiores temas de nosso tempo”. Ele afirma que o Brasil “não está somente redefinindo a América Latina, mas também a economia do mundo inteiro.”


O material do jornal abrange desde o fortalecimento do real até o “ explosivo mercado de ações “ do País e o “ardente” debate sobre um astro do futebol (o Ronaldinho Gaúcho)”. Diz ainda que o “Brasil virou a esquina e agora é uma nação de peso, ambição e fundamentos econômicos para se tornar uma potência mundial. Mas o País tem enormes desafios que precisa enfrentar até aproveitar integralmente esse potencial.” Ainda há ”trabalhos colossais” a serem feitos, diz a reportagem, assinada pelo correspondente Paulo Prada.

Uma das reportagens trata das eleições deste ano e conclui que os brasileiros “querem mais do mesmo”. No plano internacional, o jornal escreve que “de repente”, o que o Brasil fala passa a ter importância no exterior.

O líder da bancada do PT, deputado Fernando Ferro (PE), lembrou que tanto a oposição como a imprensa brasileira precisam abrir os olhos para o que sai na imprensa estrangeira sobre o Brasil. “ A imprensa internacional reconhece que o Brasil vive um momento extremamente importante em se tratando de desenvolvimento e sustentabilidade, colocando o País entre as nações que despertaram de vez para o crescimento, preenchendo aquele que sempre foi o nosso sonho: dizer que o Brasil é o país do futuro. O futuro chegou com o governo Lula”

O deputado José Guimarães (PT-CE) também chamou a atenção para as diferenças entre a imprensa nacional e estrangeira, no tocante ao Brasil. “Os avanços que temos obtido no governo Lula, desde 2003, não são reconhecidos pela maior parte de nossa mídia e tampouco pela oposição, que está perdida e sem projeto”, disse. Ele lembrou que na vigência do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), nos últimos quatro anos, a taxa de crescimento da economia brasileira foi da ordem de 4,2%, ante 1,7% do segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso (1998-2002).

Guimarães ressaltou que, se a economia brasileira destacou-se nos últimos sete anos, inclusive no enfrentamento da crise mundial iniciada no final de 2008, muito se deveu à reorganização do Estado e aos resgate de seu papel de indutor do desenvolvimento, com iniciativas como o PAC. “Enquanto a mídia estrangeira, como o Wall Street Journal, reconhece esses avanços, aqui continuam os ataques despropositados da oposição e de parte da mídia a todas as conquistas aprovadas pela maioria do povo brasileiro”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário