Recife (PE), Brasil

domingo, 30 de janeiro de 2011

Caçando Mitos: A origem da expressão "Rá-Tim-Bum"

Acabei de receber um e-mail que alerta para o significado da expressão "rá-tim-bum", cantada no "Parabéns para Você" aqui no Brasil.

A mensagem diz que a expressão significa "eu te amaldiçoo" e pede para que todos deixem de cantá-la, pois seria algo demoníaco.

Claro que isto não passa de uma imensa bobagem. Pesquisando no site "Quatro Cantos", especializado neste tipo de lendas, descobri que a Revista da Fapesp no. 102, de março/2004 (p. 57/58), comemorativa aos 70 anos da Fapesp, traz uma versão bem mais plausível para a origem da expressão:

O bordão “é pique, é pique, é hora, é hora, é hora, rá-tim-bum", incorporado no Brasil ao Parabéns a você, é uma colagem de bordões dos pândegos estudantes das Arcadas da década de 1930. “É pique, é pique” era uma saudação ao estudante Ubirajara Martins, conhecido como pic-pic porque vivia com uma tesourinha aparando a barba e o bigode pontiagudo.

“É hora, é hora” era um grito de guerra de botequim. Nos bares, os estudantes eram obrigados a aguardar meia hora por uma nova rodada de cerveja - era o tempo necessário para a bebida refrigerar em barras de gelo. Quando dava o tempo, eles gritavam: “É meia hora, é hora, é hora, é hora, é hora!"

“Rá-tim-bum”, por incrível que pareça, refere-se a um rajá indiano chamado Timbum, ou coisa parecida, que visitou a faculdade - e cativou os estudantes com a sonoridade de seu nome. O amontoado de bordões ecoava nas mesas do restaurante Ponto Chic, com um formato um pouco diferente do que se conhece hoje: “Pic-pic, pic-pic; meia hora, é hora, é hora, é hora; rá, já, tim, bum'.


Como isso foi parar no Parabéns a você? “Os estudantes costumavam ser convidados a animar e prestigiar festas de aniversário. E desfiavam seus hinos”, conta o atual diretor da faculdade, Eduardo Marchi...


Estudantes das Arcadas visitam, em 1908,
o Barão do Rio Branco (ao centro), ex-aluno



Nenhum comentário:

Postar um comentário