Recife (PE), Brasil

sábado, 4 de junho de 2011

Caçando mitos: a presidente ou a presidenta?

Tenho recebido e-mails criticando Dilma Roussef por preferir ser chamada de  "a presidenta" em vez de "a presidente". O mais comum deles, que se propõe a dar um "basta" no assunto, reproduz um texto supostamente escrito por uma professora universitária chamada Miriam Rita Moro Mine. Segue o texto, que, por meio de sofismas, na verdade procura apenas ridicularizar Dilma:


Existe a palavra: PRESIDENTA?
 

Que tal colocarmos um "BASTA" no assunto?
 
No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante... Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.
Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte.
Portanto, à (SIC) pessoa que preside é PRESIDENTE, e não "presidenta", independentemente do sexo que tenha. Se diz capela ardente, e não capela "ardenta"; se diz estudante, e não "estudanta"; se diz adolescente, e não "adolescenta"; se diz paciente, e não "pacienta".
Um bom exemplo do erro grosseiro seria:
"A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta".
Por favor, pelo amor à língua portuguesa, repasse essa informação..

Miriam Rita Moro Mine - UFPR      

Entretanto, pesquisando sobre o assunto, verifiquei que todos os dicionários consagram a foma "PRESIDENTA" como correta.
E o mais importante: o texto foi falsamente atribuido à Professora Miriam Rita, que por sinal é especialista em engenharia,como ela mesma esclarece:

Nunca escrevi absolutamente nada sobre a existência ou não da palavra
“presidenta”. Meu nome está sendo usado indevidamente como autora de um
texto que circula na internet e na imprensa.
Sou professora da Universidade Federal do Paraná – UFPR, Departamento de
Hidráulica e Saneamento, graduada em “Engenharia Civil “ e com
pós-graduação em cursos de “Engenharia“ (Mestrado e Doutorado) e
professora de cursos de “Engenharia” na UFPR (ver meu Curriculum Lattes –
http://www.cnpq.br – plataforma lattes)
Eu jamais escreveria um texto que não fosse da minha área de atuação.
Miriam Rita Moro Mine

Tais mensagens e opiniões, portanto, não passam de preconceito ou simples má vontade disfarçada.

Segue outro texto esclarecedor sobre o assunto:

Quer gostem ou não, o substantivo feminino “presidentA” é encontrado no Aurélio, Caldas Aulete, Houaiss, Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras, Michaelis, Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Portugal)...

Mas recebi também um texto muito bom, escrito pelo amigo Ricardo Morais:

Segundo os dicionários, o correto é "presidenta", embora presidente também seja usado.
O dicionário Houaiss, por exemplo, informa que "presidente" é também usado, mas dá preferência a "presidenta":
 
Presidente: (substantivo de dois gêneros) indivíduo que preside (algo)
1 indivíduo que dirige os trabalhos numa assembleia, congresso, conselho, tribunal etc. 
2 título oficial do chefe do governo no regime presidencialista 
3 título oficial do chefe da nação nas repúblicas parlamentaristas 
4 título que às vezes se dá ao dono ou ao diretor-geral de uma empresa, clube, banco etc. (n adjetivo de dois gêneros (1664))
5 que preside, que dirige
fem.: presidenta (mas a presidente tb. é us.)

 
A pessoa que enviou esse texto tentou utilizar uma lógica matemática para o português e a coisa não é bem assim. Nossa língua é cheia de exceções e nem tudo pode ser deduzido. Governanta e parenta também estão entre tais exceções.
 
O Professor Pasquale também trata como opcional: A presidente ou a presidenta? – por Prof. Pasquale Cipro Neto
 
Isso tudo me fez lembrar o estudante de inglês que ao perceber uma regra de formação na tradução de palavras do tipo ação/action, coleção/collection, população/population, e assim por diante, começou a traduzir palavras como coração/coration, anão/anation, mamão/mamation, fração/fraçation.

Nenhum comentário:

Postar um comentário